quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Entrega



Ata-me
Com nós firmes da Palavra tua
Deixando-me exposta, de alma nua
Em mortos desejos, furtivos segredos

Amordaça-me
E que o grito na garganta preso
Seja tua carícia, teu maior enlêvo
E assim me conquista a cada encontro, cada degredo

Cria-me
Como vossa coisa e propriedade sagrada
Para que cada fímbria de minha carne
Cada gota de sangue aflorada
Seja entregue de vontade crua e explanada

Que teu toque seja minha herança
Teu prazer, minha única bonança
Tua ordem, meu Paraíso
Meu Dono e Senhor: tudo que mais preciso

Julga-me
Condena-me
Castiga-me
Como juiz e algoz de mim:
Vítima cativa de tua luxúria
Sois meu Princípio, meu Além, meu Fim.

4 comentários:

  1. Gostei do seu poema.
    Foi escrito com rigor e alma!

    Beijinho para si!

    ResponderExcluir
  2. Ana

    Tão lindo teus escritos.
    Também eu adoraria me entregar a um amor assim.

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  3. Passo para te desejar um feliz Natal e um 2013 em GRANDE!
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  4. Ana o tempo é o nosso maior inimigo porque vai adiando visitas que para nós são importantes mas, um dia, acabamos por rasgar os compromissos e procurar o que nos satisfaz e por isso estou aqui hoje. Um beijinho com saudades

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Entrega



Ata-me
Com nós firmes da Palavra tua
Deixando-me exposta, de alma nua
Em mortos desejos, furtivos segredos

Amordaça-me
E que o grito na garganta preso
Seja tua carícia, teu maior enlêvo
E assim me conquista a cada encontro, cada degredo

Cria-me
Como vossa coisa e propriedade sagrada
Para que cada fímbria de minha carne
Cada gota de sangue aflorada
Seja entregue de vontade crua e explanada

Que teu toque seja minha herança
Teu prazer, minha única bonança
Tua ordem, meu Paraíso
Meu Dono e Senhor: tudo que mais preciso

Julga-me
Condena-me
Castiga-me
Como juiz e algoz de mim:
Vítima cativa de tua luxúria
Sois meu Princípio, meu Além, meu Fim.

4 comentários:

  1. Gostei do seu poema.
    Foi escrito com rigor e alma!

    Beijinho para si!

    ResponderExcluir
  2. Ana

    Tão lindo teus escritos.
    Também eu adoraria me entregar a um amor assim.

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  3. Passo para te desejar um feliz Natal e um 2013 em GRANDE!
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  4. Ana o tempo é o nosso maior inimigo porque vai adiando visitas que para nós são importantes mas, um dia, acabamos por rasgar os compromissos e procurar o que nos satisfaz e por isso estou aqui hoje. Um beijinho com saudades

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)