terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Perguntas e respostas


Como deslizar pela vida
Desvendar cada mistério?
Como aceitar cada partida
Mesmo se te fere a sério?

Como curar as feridas
Ao menos minimizar sua dor?
Como amar outras vidas
Sentindo delas o calor?

Como ser, sem importar a Sorte?
Como viver, esquecendo da Morte?
Como caminhar, ser querido, ser notado?
Como perpetuar e deixar doce legado?

Como entender tantas almas diferentes?
Como vivenciar o desconhecido indolente?
Como não ferir, mesmo sem querer?
Como menos chorar, mais sorrir, menos sofrer?

Tantas perguntas, dúvidas, questionamentos
Todos os dias, cada uma em seu tormento
Como responder, sendo apenas mais um na multidão
Que espera escutar, acreditando nada ser em vão?

Um dia, em sonho talvez
Ouvi a resposta : minh alma se refez:

"Sempre crer, ainda que ausente e desatento
Que a mão que hoje sufoca
Será a mesma que um dia te dará alento.

Ouvir histórias ao sabor do vento
Guardar na memória inesquecíveis momentos
Fazer da Vida, hoje tela em branco
O quadro de si, transparente e franco

Amar o próximo, o distante, o amante
Pedir por eles menos tristezas, mais alegria vibrante
Fechar os olhos, e com gratidão
Agradecer por tudo em sublime emoção

Saber que mesmo só, há um Alguém que por ti ora
Enxuga, condoído, cada lágrima que choras
Te protege, te ampara e nunca se afasta
E te cobre de promessas de felicidades vastas

Durmas feliz, mesmo que sem todas as respostas
Sabendo que a cada passo, a cada teu suspirar
Ele está por perto, estendendo a mão a sorrir
Esperando que dês a sua, completando teu existir"

17 comentários:

  1. Poetisa Ana


    Você é ímpar...singular...espetacular.

    ResponderExcluir
  2. ...
    Maravilhoso, Ana Cristina.
    Abraços.
    ...

    ResponderExcluir
  3. Passando para desejar uma linda semana.

    "Para fazer mudanças não é preciso buscar novas paisagens.
    Basta apenas olhar com novos olhos"
    (Marcel Proust)

    Abraços com carinho

    ResponderExcluir
  4. Ana Cristina... ler-te é uma delicia!


    Beijo
    AL

    ResponderExcluir
  5. Aninha!!

    Sem palavras, fiquei maravilhada com essa poesia!!

    Que dom magnifico que tens de encantar com belas palavras!!!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Lindo,Ana.Mais lindo foi o desfecho, valorizando a visa, ainda que sem todas as respostas. A gente está nela e isso já é uma grande dádiva. Grandes dádivas também são seu talento e sensibilidade. Beijos.Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Belos versos,,,belo sonhar pela vida....um beijo e um dia lindo pra ti.

    ResponderExcluir
  8. uauuuuu...essa entrou pras melhores que já li aqui...gostei muito, fui lendo e foi passando um filme na minha cabeça das vezes que me fiz perguntas parecidas, dos sofrimentos que passei, das respostas que encontrei...ameiiiii esse poema...

    Coloca no livro hein..rsrsrs..

    ResponderExcluir
  9. Cris!

    Faço essas perguntas a mim todos os dias e acredite, tenho essas mesmas respostas... mas quem disse que a gente aprende?

    ResponderExcluir
  10. Reflexivo!

    A vida é única, pessoal, intransferível. Isto amedronta.É fascinante!


    Um beijo

    ResponderExcluir
  11. Encontrei no teu poema, todas as respostas para as perguntas que trazia dentro de mim...
    Um beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  12. Acho que já citei como é maravilhosa a sua poesia.
    Convivo muito com essas perguntas citadas em seus parágrafos.
    Principalmente estas:
    “Como entender tantas almas diferentes?
    Como vivenciar o desconhecido indolente?
    Como não ferir, mesmo sem querer?
    Como menos chorar, mais sorrir, menos sofrer?”
    Procuro agradecer e espero pelas promessas de felicidade.
    Beijos...
    Juliane S. Rocha

    ResponderExcluir
  13. quando vc insinua Deus em seus poemas ele ficam mais belos... amo isso aqui!

    ResponderExcluir
  14. Ana Cristina

    Você é fora do comum sabia? Acredite, não pense que falo para agradar, não!Depois de ler um poema desses não há como não ficar pasma ou emocionada...

    Lindo demais, mesmo mesmo, mesmo!

    Sempre digo que se temos as perguntas, temos meio caminho andado, sabemos o que queremos buscar, podemos ir a luta!

    No dia que tivermos todas as respostas podemos morrer...

    Muito lindo

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  15. Nas perguntas e respostas, eu não sei o que diria, mas gosto de vir aqui e ler a sua poesia

    um beijo, José

    ResponderExcluir
  16. Gosto muito do teu espaço, do teu gosto pela poesia. Gostaria que conhecesse mais dos meus poemas na Ilha da Magia, o link está no meu blogger junto com os do Eduardo.
    beijos

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Perguntas e respostas


Como deslizar pela vida
Desvendar cada mistério?
Como aceitar cada partida
Mesmo se te fere a sério?

Como curar as feridas
Ao menos minimizar sua dor?
Como amar outras vidas
Sentindo delas o calor?

Como ser, sem importar a Sorte?
Como viver, esquecendo da Morte?
Como caminhar, ser querido, ser notado?
Como perpetuar e deixar doce legado?

Como entender tantas almas diferentes?
Como vivenciar o desconhecido indolente?
Como não ferir, mesmo sem querer?
Como menos chorar, mais sorrir, menos sofrer?

Tantas perguntas, dúvidas, questionamentos
Todos os dias, cada uma em seu tormento
Como responder, sendo apenas mais um na multidão
Que espera escutar, acreditando nada ser em vão?

Um dia, em sonho talvez
Ouvi a resposta : minh alma se refez:

"Sempre crer, ainda que ausente e desatento
Que a mão que hoje sufoca
Será a mesma que um dia te dará alento.

Ouvir histórias ao sabor do vento
Guardar na memória inesquecíveis momentos
Fazer da Vida, hoje tela em branco
O quadro de si, transparente e franco

Amar o próximo, o distante, o amante
Pedir por eles menos tristezas, mais alegria vibrante
Fechar os olhos, e com gratidão
Agradecer por tudo em sublime emoção

Saber que mesmo só, há um Alguém que por ti ora
Enxuga, condoído, cada lágrima que choras
Te protege, te ampara e nunca se afasta
E te cobre de promessas de felicidades vastas

Durmas feliz, mesmo que sem todas as respostas
Sabendo que a cada passo, a cada teu suspirar
Ele está por perto, estendendo a mão a sorrir
Esperando que dês a sua, completando teu existir"

17 comentários:

  1. Poetisa Ana


    Você é ímpar...singular...espetacular.

    ResponderExcluir
  2. ...
    Maravilhoso, Ana Cristina.
    Abraços.
    ...

    ResponderExcluir
  3. Passando para desejar uma linda semana.

    "Para fazer mudanças não é preciso buscar novas paisagens.
    Basta apenas olhar com novos olhos"
    (Marcel Proust)

    Abraços com carinho

    ResponderExcluir
  4. Ana Cristina... ler-te é uma delicia!


    Beijo
    AL

    ResponderExcluir
  5. Aninha!!

    Sem palavras, fiquei maravilhada com essa poesia!!

    Que dom magnifico que tens de encantar com belas palavras!!!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Lindo,Ana.Mais lindo foi o desfecho, valorizando a visa, ainda que sem todas as respostas. A gente está nela e isso já é uma grande dádiva. Grandes dádivas também são seu talento e sensibilidade. Beijos.Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Belos versos,,,belo sonhar pela vida....um beijo e um dia lindo pra ti.

    ResponderExcluir
  8. uauuuuu...essa entrou pras melhores que já li aqui...gostei muito, fui lendo e foi passando um filme na minha cabeça das vezes que me fiz perguntas parecidas, dos sofrimentos que passei, das respostas que encontrei...ameiiiii esse poema...

    Coloca no livro hein..rsrsrs..

    ResponderExcluir
  9. Cris!

    Faço essas perguntas a mim todos os dias e acredite, tenho essas mesmas respostas... mas quem disse que a gente aprende?

    ResponderExcluir
  10. Reflexivo!

    A vida é única, pessoal, intransferível. Isto amedronta.É fascinante!


    Um beijo

    ResponderExcluir
  11. Encontrei no teu poema, todas as respostas para as perguntas que trazia dentro de mim...
    Um beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  12. Acho que já citei como é maravilhosa a sua poesia.
    Convivo muito com essas perguntas citadas em seus parágrafos.
    Principalmente estas:
    “Como entender tantas almas diferentes?
    Como vivenciar o desconhecido indolente?
    Como não ferir, mesmo sem querer?
    Como menos chorar, mais sorrir, menos sofrer?”
    Procuro agradecer e espero pelas promessas de felicidade.
    Beijos...
    Juliane S. Rocha

    ResponderExcluir
  13. quando vc insinua Deus em seus poemas ele ficam mais belos... amo isso aqui!

    ResponderExcluir
  14. Ana Cristina

    Você é fora do comum sabia? Acredite, não pense que falo para agradar, não!Depois de ler um poema desses não há como não ficar pasma ou emocionada...

    Lindo demais, mesmo mesmo, mesmo!

    Sempre digo que se temos as perguntas, temos meio caminho andado, sabemos o que queremos buscar, podemos ir a luta!

    No dia que tivermos todas as respostas podemos morrer...

    Muito lindo

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  15. Nas perguntas e respostas, eu não sei o que diria, mas gosto de vir aqui e ler a sua poesia

    um beijo, José

    ResponderExcluir
  16. Gosto muito do teu espaço, do teu gosto pela poesia. Gostaria que conhecesse mais dos meus poemas na Ilha da Magia, o link está no meu blogger junto com os do Eduardo.
    beijos

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)