quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O ciclo do dia


 

O dia se descortina.
Diante dos meus olhos ele abre o casaco da noite
Rompendo seus botões: as estrelas.

Veste-se com capa dourada
Feita de sol e encantamento
Mostrando o poder de se reconstruir
Novamente.

Pela manhã esquenta anseios e alimenta esperanças
Cultua sementes que desabrocham em flores
Esquenta areias em dunas desérticas.

Passa a tarde cultivando cometas para o anoitecer
Repaginando a Lua com novos raios prata
Reacendendo aromas e sentidos
Renovando promessas e premissas.

Chega a noite.
O dia veste o casaco negro com seus botões
De estrelas.
E adormece na espera do amanhã.

19 comentários:

  1. O dia amanhece quando eu abro os olhos!!!
    Que lindooo!!! Amei!!!

    ResponderExcluir
  2. Um dos seus melhores poemas que eu já li foi esse!
    Eu ja ouvi um outro que falava sobre o amor entre o sol e a lua. Ambos se completam, mas nunca podem estar juntos. Essa sensação é frustante, rs!!!

    Enfim, boa noite, gostei muito

    ResponderExcluir
  3. E assim vamos de botóes à capa dourada seguindo nossas vidas.
    Lindo e singelo poema.
    beijo

    ResponderExcluir
  4. E assim vamos vivendo...

    na esperança de belas noites e dias promissores...

    bj

    ResponderExcluir
  5. Amei Ana, como tudo que vc escreve, sempre me inspira e emociona, vc é um talento!! Que boa sua idéia de nos mostrar através do blog, suas inspirações, beijos

    ResponderExcluir
  6. Ana Cristina...

    Um poético desfilar do dia, desde o amanhecer até as estrelas se acenderem na plena noite!
    Lindooooo...

    Um beijo
    AL

    ResponderExcluir
  7. A única certeza é de que sempre haverá o amanhecer.

    Muito bonito teu poema!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. ...maravilhosooooooo!

    bj, lindeza!

    ResponderExcluir
  9. Ana Cristina,
    Aqui estou desfiando o dia e a noite no desfilar da vida em festa.

    Amiga portisa, que bom que ficou quietinha também lá na floresta, é bom. Silenciar e aquietar. Muito bom.

    Claro que pode levar, coloque o nome, endereço do blog e data.
    Grande a afetuoso abraço

    ResponderExcluir
  10. "Passa a tarde cultivando cometas para o anoitecer"
    linda imagem

    ResponderExcluir
  11. Essa capacidade de fomar imagens com palavras me encanta sobremaneira.
    Estive a te ler, fico encantado como escreves sobre diversos assuntos. Parecem duas ou tres ou quatro pessoas distintas, pois dependendo do assunto escolhido, modificas teu jeito de escrever.

    Estou encantado com sua pessoa.

    Abraço
    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou a mesma pessoa.
      Nem.duas ou três
      Apenas uma que desiludiu de tudo e todos e perdeu se entre vogais e consoantes.

      Hoje não mais escrevo.
      Deixo correr a vida insensata.
      Com menos brilho, com menos cor, com menos sentimento.

      A história da escritora que não é nem nunca foi. Apenas arriscava palavras ao leo, torcendo para que fizessem sentido.

      Enterro me entre letras, vírgulas e finalmente.. . O ponto final.

      Excluir
  12. adorei os versos, as metáforas.

    mto bom.

    beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Um excelente final de semana para vc..
    Beijão

    ResponderExcluir
  14. Santa inspiração! Este poema é lindo demais!
    beijo, ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Ana!!!

    Passa no meu blogger UMA ILHA PARA AMAR, tem uma surpresa para voce, espero que goste.
    Abraços com todo meu carinho.

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O ciclo do dia


 

O dia se descortina.
Diante dos meus olhos ele abre o casaco da noite
Rompendo seus botões: as estrelas.

Veste-se com capa dourada
Feita de sol e encantamento
Mostrando o poder de se reconstruir
Novamente.

Pela manhã esquenta anseios e alimenta esperanças
Cultua sementes que desabrocham em flores
Esquenta areias em dunas desérticas.

Passa a tarde cultivando cometas para o anoitecer
Repaginando a Lua com novos raios prata
Reacendendo aromas e sentidos
Renovando promessas e premissas.

Chega a noite.
O dia veste o casaco negro com seus botões
De estrelas.
E adormece na espera do amanhã.

19 comentários:

  1. O dia amanhece quando eu abro os olhos!!!
    Que lindooo!!! Amei!!!

    ResponderExcluir
  2. Um dos seus melhores poemas que eu já li foi esse!
    Eu ja ouvi um outro que falava sobre o amor entre o sol e a lua. Ambos se completam, mas nunca podem estar juntos. Essa sensação é frustante, rs!!!

    Enfim, boa noite, gostei muito

    ResponderExcluir
  3. E assim vamos de botóes à capa dourada seguindo nossas vidas.
    Lindo e singelo poema.
    beijo

    ResponderExcluir
  4. E assim vamos vivendo...

    na esperança de belas noites e dias promissores...

    bj

    ResponderExcluir
  5. Amei Ana, como tudo que vc escreve, sempre me inspira e emociona, vc é um talento!! Que boa sua idéia de nos mostrar através do blog, suas inspirações, beijos

    ResponderExcluir
  6. Ana Cristina...

    Um poético desfilar do dia, desde o amanhecer até as estrelas se acenderem na plena noite!
    Lindooooo...

    Um beijo
    AL

    ResponderExcluir
  7. A única certeza é de que sempre haverá o amanhecer.

    Muito bonito teu poema!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. ...maravilhosooooooo!

    bj, lindeza!

    ResponderExcluir
  9. Ana Cristina,
    Aqui estou desfiando o dia e a noite no desfilar da vida em festa.

    Amiga portisa, que bom que ficou quietinha também lá na floresta, é bom. Silenciar e aquietar. Muito bom.

    Claro que pode levar, coloque o nome, endereço do blog e data.
    Grande a afetuoso abraço

    ResponderExcluir
  10. "Passa a tarde cultivando cometas para o anoitecer"
    linda imagem

    ResponderExcluir
  11. Essa capacidade de fomar imagens com palavras me encanta sobremaneira.
    Estive a te ler, fico encantado como escreves sobre diversos assuntos. Parecem duas ou tres ou quatro pessoas distintas, pois dependendo do assunto escolhido, modificas teu jeito de escrever.

    Estou encantado com sua pessoa.

    Abraço
    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou a mesma pessoa.
      Nem.duas ou três
      Apenas uma que desiludiu de tudo e todos e perdeu se entre vogais e consoantes.

      Hoje não mais escrevo.
      Deixo correr a vida insensata.
      Com menos brilho, com menos cor, com menos sentimento.

      A história da escritora que não é nem nunca foi. Apenas arriscava palavras ao leo, torcendo para que fizessem sentido.

      Enterro me entre letras, vírgulas e finalmente.. . O ponto final.

      Excluir
  12. adorei os versos, as metáforas.

    mto bom.

    beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Um excelente final de semana para vc..
    Beijão

    ResponderExcluir
  14. Santa inspiração! Este poema é lindo demais!
    beijo, ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Ana!!!

    Passa no meu blogger UMA ILHA PARA AMAR, tem uma surpresa para voce, espero que goste.
    Abraços com todo meu carinho.

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras aqui... (mas por favor, sem ctrl c ctrl v :D)